009

            Inicio esta mensagem parabenizando pela coragem de prestar o concurso para magistratura. Ouso ainda ter coragem de enaltecer referida função em nossa ditadura de extrema igualdade. A diferença também é da natureza humana e a magistratura é uma função diferenciada, exigindo tratamentos e benefícios diferenciados. Apesar de desgastante, dificílima de ser ocupada, é maravilhosa de ser exercida. É inexplicável a satisfação de acordar sendo magistrado.

            Creio que já escrevi que o sistema de concurso público é excelente e nos auxilia para o resto da vida e para estas duas semanas restantes para a primeira fase enfatizo dois aspectos da preparação que nos ajudam em qualquer âmbito de nossa existência.

            Em primeiro lugar todo mundo tem problemas. A vida de ninguém é paralisada por que presta concurso público. A misericórdia de si mesmo não auxilia muito, o mesmo pode ser afirmado quanto a esperar a compreensão alheia. É de extrema relevância saber fragmentar a vida e mesmo em casos de enfermidades e dificuldades financeiras manter uma constância nas atividades laborais e acadêmicas. Naturalmente o ritmo é diminuído em determinadas situações e obviamente algumas delas são avassaladoras e realmente nos retiram momentaneamente do páreo, entretanto com a necessidade e anseio de aprovação para um cargo como o de magistrado, aprenderá a definir prioridades e identificar se está diante de um problema avassalador ou se é possível lidar com ele.

            Durante meu trajeto de aprovação cheguei à fase de sentença, mas na sequencia interrompi os estudos por cerca de um ano e meio.

            Quando for magistrado lidará diariamente com isso, pois tal como um cirurgião, trabalhará com a vida de inúmeras pessoas e não poderá alegar problemas pessoais por solucionar um caso de forma inadequada. Em suma, saiba definir seu foco.

            Outro ponto que ressalto é a necessidade de olhar para si e identificar seus erros. Inicialmente é fácil, pois é muito conhecida a necessidade examinar suas provas anteriores e focar onde tem mais dificuldade através da análise dos próprios equívocos. Um segundo estágio é se analisar internamente. Identificar o que esconde de si mesmo. Confesse seus pecados para si. Isso trará enorme segurança e equilíbrio emocional. Recomendo que nestes dias descubra por que você quer ser magistrado.

            Peço desculpas pela ignorância e descrença, mas não acredito que almeje ocupar tal cargo para propiciar mais justiça social. Esta parte da profissão é maravilhosa, mas muito abstrata para te motivar. Seja sincero. Provavelmente é o salário ou a posição social, ou para mostrar àquele seu parente, ou para o ex-namorado ou namorada, para provar para si mesmo que consegue. Seja honesto e sincero consigo e depois aplique para o resto da vida.

            A sinceridade propicia identificação dos erros e progresso como ser humano, cria ainda um senso natural de humildade.

            Nestas últimas semanas, provavelmente já absorveu o conteúdo necessário e já é o momento de se preparar para este conhecimento possa fluir na hora da prova. A leitura de resumos e questões é recomendável, mas manter a mente equilibrada é melhor ainda.

            Aprecio a seguinte frase: Gente grande de verdade sabe que é pequeno, por isso crescer ainda mais. Gente muito pequena acha que já é grande e a única maneira de crescer é se ela abaixar outra pessoa”

            Em resumo, reconheça que é pequeno, assim não terá acanhamento em dizer o quão grande é o exercício da magistratura, seja firme, seja forte, seja sincero, seja humildade e acima de tudo tenha fé, pois poucas coisas estão sob controle, mas mantenha o controle sobre estas poucas coisas.

Glauco Bresciani Silva

Juiz do Trabalho – 2ª Região

bannerapo