Login

Estudos para a primeira fase

Estudos para a primeira fase

 

Prezados amigos, depois que escrevi um texto sobre a primeira fase de São Paulo e o comportamento recomendado próximo à prova, alguns amigos pediram recomendações sobre o estudo geral de primeira fase.

Confesso que não me sinto muito confortável com isso pois tenho a impressão de que repetirei coisas que todo mundo já sabe, mas algumas vezes é bom ouvir de outras pessoas.

O método que descreverei neste texto foi baseado apenas em meus estudos, não tenho base científica para falar, a única coisa é que acabou dando resultado. Um fato que acho importante é ter um método e acreditar nele e algumas vezes reconhecer que não temos o melhor método e aceitar algumas sugestões.

Comecei a fazer provas para magistratura em 2010, era uma época na qual a primeira fase não era tão complexa, era realizada em dois dias, os cortes não eram tão altos. Fui aprovado na primeira fase de meu segundo concurso.

Em 2011 parei de fazer provas, voltei apenas em março de 2012, fui buscar informações e as provas de primeira fase se tornaram uma grande peneira exigindo um estudo específico, fiquei bem preocupado.

Acabei me dedicando aos textos de lei, me inscrevi no Preparo Jurídico, o método de questões ao final com falso e verdadeiro me ajudou bastante na memorização das leis. Fiz a famosa prova do TRT 24 de 2012 que teve corte de 88, fiquei feliz por ter feito 85 pontos, tinha sido meu melhor desempenho, mas não foi suficiente.

Continuei meu dedicando no estudo da lei seca do Preparo Jurídico, fui aprovado na primeira fase de Campinas. Fui com muita ênfase na segunda e não logrei aprovação, coloquei muita fé naquele concurso, a reprovação me derrubou durante meses.

Em 2012 tiveram muitos concursos, fui reprovado em umas sete primeiras fases. Foi aí que decidi estudar com método e não deixar a tristeza me abater.

O método foi bem simples e provavelmente já sabe o que vou dizer. Ocorria a publicação de determinado edital de concurso, pegava as cinco últimas provas e respondia uma por dia, e apenas olhava o gabarito, sem corrigir, tirando um raio x do desempenho em cada matéria, montava tabela e tudo mais, eu gosto de estatística. Então tomava a atitude mais lógica, que todo mundo me dizia, mas eu nunca fazia, estudava as matérias nas quais tinha mais dificuldade. Creio que no ano de 2013 fui aprovado em todas as primeiras fases que fiz e também em 2014.

Estudava a matéria na qual estava com pior desempenho e depois para a segunda, terceira e etc, a depender da matéria, nem estudava. Lia principalmente a lei seca e de acordo com as questões algum conceito doutrinário.

Depois voltava a fazer as provas. Montei um arquivo que denominei “Acertando Sempre” um nome afirmativo para me motivar. Voltei a fazer as provas separadas por matérias, notei que errava sempre as mesmas questões, por exemplo em Direito Civil eu errava bem de família, em Direito do Trabalho errava o intervalo para reparação térmica. Era até cômico, me recordava até da anedota na qual um sujeito não muito esperto via uma casca de banana no chão e pensava: “Hum, lá vou escorregar outra vez”. Era assim com estas questões.

Depois de fazer a prova, utilizava questões corrigidas, o Preparo também tem este material,  copiava as questões que errava corrigidas e colava no arquivo, sem formatação ou frescura.

O arquivo foi sendo montado. No começo é mais demorado, mas depois seu tempo de estudo vai sendo reduzido, porque apenas necessitará ler o “Acertando Sempre”, vai começar a ser aprovado para as demais fases. O fato do concurso ser realizado por banca organizadora ajuda neste sentido, em uma prova do Rio consegui fazer 92 pontos, outras pessoas fizeram até mais que isso.

Em suma, sem novidades. Fazia as provas do TRT almejado, identificava meus pontos fracos, focava neles, voltava a fazer questões e montava o “Acertando Sempre” em um ciclo organizado. Garanto que já ouviu isso de muita gente, mas às vezes da maneira que menos esperamos algo acontece, para os religiosos como eu, acreditamos que DEUS nos mostra o que fazer e isto pode se dar em qualquer ocasião.

Em 2009 eu era professor de Direito Constitucional e Administrativo, trabalhava bastante e até estudava para concurso, e em uma lotação em Guarulhos, na rádio, entre um pagode e um funk pancadão, ouvi uma frase que mudou a minha vida “se continuar fazendo sempre as mesmas coisas, conseguirá sempre os mesmos resultados”. Tive fé naquilo e me ajudou bastante, mudei radicalmente minha vida e foquei no estudo para os concursos. Tenha fé que este texto poderá auxiliar em sua vida e apesar de não ter novidade alguma nele, possa ser despertada uma boa nova em sua vida.

Grande abraço!!

Paz e prosperidade!!

 

* Glauco Bresciani Silva – Juiz do Trabalho Substituto do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região – Pós Graduação em Filosofia e Teoria Geral do Direito pela PUC-MG.

27 de Janeiro de 2018
top
Preparo Jurídico -2018 - All rights reserved.